sexta-feira, 26 de março de 2010

Embrapa semiárido,incentiva o plantio de umbuzeiro.

Pesquisando à respeito de alternativas viáveis e sustentáveis,para o nosso semiárido;encontrei essa matéria,publicada no site da Embrapa semiárido,falando à respeito do plantio de umbuzeiro.Essa,sem dúvidas é uma alternativa muito interessante,tanto economicamente,como ecologicamente falando.

Essa árvore corre risco de extinção,pois,como ela é uma das preferidas das abelhas,para construírem suas "moradias"(fica atrás somente da imburana e da catingeira),os meleiros estão sempre cortando seus troncos,para tirarem o mel.


Frutos de umbuzeiro geram renda para agricultor.Doces e geléias de umbu já são saboreados em mesas e restaurantes muito distantes do sertão nordestino. Agricultores organizados na Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos Uaua e Curaçá (Coopercuc), na Bahia, reuniram receitas de doceiras da região, agregaram métodos de processamento industrial, e se tornaram exportadores desses produtos para a França, Áustria e Itália.


No Prosa Rural desta semana, o pesquisador da Embrapa Semiárido (Petrolina/PE), Francisco Pinheiro, fala sobre a importância dos agricultores plantarem umbuzeiro na caatinga e se preparar para os negócios que começam e se organizar em torno da cultura. Do programa vai participar também o Diretor Presidente da Coopercuc, Jussemar Cordeiro da Silva.



Poupança verde - Segundo Pinheiro, a quantidade de plantas de umbuzeiro é cada vez menor na caatinga. O desmatamento para plantio ou para produção de lenha são algumas das causas da diminuição da espécie na vegetação nativa. No estado natural, a caatinga tem, pelo menos, de três a nove plantas por hectare.

No programa desta semana, o pesquisador apresenta uma experiência de enriquecer a caatinga com o plantio de mudas de umbuzeiros. Para ele, é possível fazer a densidade dar um salto e em apenas um hectare. Abrindo pelo menos cinco trilhas e colocando dez plantas em cada uma delas “somaríamos, pelos menos, 50 plantas de umbuzeiro, em um hectare”, explica o pesquisador durante entrevista concedida ao Prosa Rural.

Segundo ele, o início de produção das plantas pode variar de 4-5 anos a até 15-20 anos, a depender da maneira e do local de plantio, por exemplo. Nas duas situações, porém, o agricultor se assegura de possuir uma futura renda para a sua família, quando começarem as safras. “Além de conservar o meio ambiente, ele vai ter uma renda garantida com a produção de frutas”, destaca.

Uma orientação da Embrapa Semiárido é que o agricultor procure plantar mudas enxertadas com frutos de melhor qualidade e que crescem com maior rapidez.

A Embrapa Semiárido já distribuiu 40 mil mudas enxertadas de umbuzeiro para os produtores rurais do Nordeste. E, atualmente, já existem viveiristas começando a produzir essas mudas em escala comercial. Contribui também para o aproveitamento do fruto na forma processada, realizando treinamentos para várias comunidades agrícolas do sertão.

O Prosa Rural é o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Embrapa Semiárido

Marcelino Lourenço Ribeiro Neto


http://www.cpatsa.embrapa.br/


Um abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB.
Postar um comentário