quinta-feira, 22 de abril de 2010

Pesquisas apícolas.

Pesquisas apícolas em andamento na Embrapa Meio Norte - Teresina - PI


Ricardo Costa Rodrigues de Camargo
Pesquisador da Embrapa Meio-Norte



O Brasil apresenta condições extremamente favoráveis para a criação de abelhas, dispondo de clima adequado, floradas nativas com grande potencial para a produção de mel, pólen, própolis e geléia real, abelhas adaptadas às nossas condições, tolerantes às principais doenças apícolas e altamente produtivas. Essas condições nos permitem criar abelhas sem a aplicação de medicamentos veterinários e em áreas livres de agrotóxicos propiciando uma produção limpa e disponibilizando aos consumidores produtos de alta qualidade e pureza.

A atividade apícola no Brasil vem crescendo a passos largos nos últimos anos, principalmente na região Nordeste, impactando positivamente as economias locais. Atualmente, a região se destaca no cenário nacional pelo seu volume de produção, desenvolvimento tecnológico e de infra-estrutura, programas de organização e capacitação de apicultores. Entretanto, mesmo com esse diferencial único ainda pouco explorado no país, existem muitos gargalos tecnológicos e não tecnológicos a serem eliminados, que impedem que o Brasil se torne um dos maiores produtores de mel e de outros produtos das abelhas.

A apicultura tem se consolidado como uma das atividades mais importantes do ponto de vista econômico, social e ambiental, por empregar mão-de-obra familiar e proporcionar geração de fluxo de renda, reduzindo a dependência dos produtos agrícolas de subsistência e favorecendo a fixação do homem no campo. Além disso, por depender dos recursos naturais, favorece a preservação da flora nativa, garantindo, também, a preservação de espécies animais dependentes desta flora. Estes fatores têm contribuído para o crescimento da atividade, como pode ser verificado no Piauí, onde, aproximadamente, 15.000 famílias estão envolvidas direta ou indiretamente na atividade com um crescimento na ordem de 9% ao ano, ou seja, cerca de 700 famílias.

Em virtude da importância da atividade, não só na região Nordeste como em grande parte dos Estados brasileiros, a Embrapa Meio-Norte tem envidado esforços para a realização de ações de pesquisa e desenvolvimento visando dar suporte à cadeia produtiva apícola, buscando o aumento da produtividade, aliada à melhoria da qualidade dos produtos da colméia.

Nesse sentido, no período de 2001/2002, a Unidade iniciou a formação do Núcleo de Pesquisas com Abelhas - NUPA, visando dotar a instituição de infra-estrutura física e pessoal qualificado em pesquisa e desenvolvimento, capazes de gerar, adaptar e transferir conhecimentos que permitam o desenvolvimento sustentável destas atividades. Para isso, foram realizadas contratações de pesquisadores e técnicos especializados, que atualmente estão envolvidos na elaboração e execução de projetos de P&D, abordando diferentes linhas de pesquisa da Apicultura e Meliponicultura, além de atuarem em parceria com outras instituições ligadas à atividade em projetos de capacitação e transferência de tecnologias, como no caso da Federação das Entidades Apícolas do Piauí - FEAPI, IBAMA, universidades, ONGs, Sebrae, etc.



Em relação à estrutura física e tecnológica do Núcleo, a existência de apiários e meliponários experimentais instalados em diversos ecossistemas do Piauí (cerrado, caatinga, área de transição, manguezal), aliado a estrutura laboratorial permitem que o grupo realize ações de pesquisa abrangendo os temas: alimentação de abelhas, qualidade do mel, instalação e manejo de apiários, flora apícola, apicultura orgânica e meliponicultura. Além disso, tem atendido ao setor produtivo, pela prestação de serviços laboratoriais com a realização de análises de mel exigidas pela legislação vigente e pelos mercados consumidores.

Ressalta-se ainda que a estruturação do Núcleo tem contribuído para a formação de profissionais para atuarem no setor apícola, por meio da orientação de estagiários e bolsistas de nível médio e superior.

A atuação do NUPA também envolve a participação de membros da equipe em comissões externas ligadas ao Arranjo Produtivo da Apicultura, como é o caso das Câmaras Setoriais (estadual e nacional) e de normalização.

Sendo assim, a Embrapa Meio-Norte, por meio da atuação do NUPA, vem se empenhando no desenvolvimento do agronegócio apícola e da meliponicultura, na certeza de que a criação sustentável de abelhas pode contribuir para a geração de renda para os agricultores familiares, fixando o homem no meio-rural, para preservação ambiental, por meio dos serviços de polinização prestados e na manutenção das áreas de vegetação nativa e das abelhas.


Temas de Atuação do NUPA

Apicultura, meliponicultura e interação das abelhas com o meio ambiente e a produção agrícola.

Focos de ação

Atualmente, encontra-se em fase de implantação e/ou condução, projetos e ações nas seguintes linhas de pesquisa:

*Alimentação de abelhas:identificar alimentos alternativos regionais para a manutenção dos enxames em determinados períodos como na entressafra, nos períodos de pré-floradas, no manejo para polinização, etc.
*Manejo de colméias: buscar soluções para problemas relacionados à produtividade e qualidade do mel, migração de enxames, sanidade das abelhas etc.;
*Qualidade do mel: estabelecer um perfil das características específicas dos diferentes tipos de mel da região (sensorial, físico-químico), além de resolver os principais gargalos, quanto à produção e ao processamento, visando à manutenção da qualidade do produto final;
*Flora apícola: identificar as plantas melíferas da região, executando análises polínicas e melissopalinológicas, atualizando a palinoteca já existente e colaborando para a identificação botânica dos méis produzidos na região.
*Apicultura orgânica: apoiar a certificação orgânica na região, auxiliando os produtores nos processos necessários para a certificação orgânica, instalando apiários orgânicos e desenvolvendo tecnologias adaptadas às condições específicas da região e que se adéqüem às diretrizes internacionais para a certificação orgânica.
*Meliponicultura: levantamento da flora de interesse para a Meliponicultura e das espécies de abelhas da região com maior potencial para produção de mel e polinização e avaliação de modelos racionais de colméias e de técnicas de manejo e extração de mel.
*Polinização: identificar as espécies de abelhas que sejam polinizadores efetivos das principais culturas agrícolas da região e elaborar planos de manejo para a sua polinização dirigida.

Objetivo Geral

Contribuir para o desenvolvimento sustentável da Apicultura e da Meliponicultura por meio da geração, adaptação e transferência de conhecimentos e tecnologias, estando permanentemente articulado, em forma de parceria, com outras instituições de pesquisa e desenvolvimento ligados a essa área em todo o Brasil.

Objetivos Específicos:

Realizar atividades de pesquisa e desenvolvimento em Apicultura e Meliponicultura;
*Desenvolver tecnologias que aperfeiçoem os processos de produção e beneficiamento dos produtos das abelhas.
*Prestar serviços laboratoriais para análise de mel e subprodutos da Apicultura e Meliponicultura, visando contribuir para a melhoria de qualidade;
*Desenvolver estudos sobre cadeias produtivas dos produtos das abelhas.
*Colaborar com as universidades do Meio-Norte e de outras regiões, na formação de profissionais para atuarem na Apicultura e Meliponicultura;
*Treinar profissionais de assistência técnica e extensão rural, para a transferência de tecnologias junto a produtores;
*Assessorar o setor público e privado, na elaboração de políticas, planos, programas e projetos, para o desenvolvimento da Apicultura e Meliponicultura.


Um abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB
Postar um comentário