quinta-feira, 28 de abril de 2011

Dia da caatinga.

Instituído,em 20 de agosto de 2003,por um decreto presidencial,o dia 28 de abril,foi escolhido como o “dia da caatinga”.

A palavra caatinga vem do tupi:caa(mata)+tinga(branca)= mata branca.Tem esse nome por causa da paisagem esbranquiçada,que a vegetação apresenta durante os períodos de seca.Como a maioria das árvores perdem as folhagens,os seus galhos esbranquiçados se destacam na paisagem.

A caatinga é o 3º ecossistema brasileiro mais degradado,ficando atrás apenas da mata atlântica e do cerrado.

Essa destruição,é causada pelo animal mais feroz que vive por aqui:”o bicho homem”.

É triste se falar de dia da caatinga,quando não se tem nada para comemorar,pelo contrário,o que se pode observar em toda essa região,é o aumento do processo de desertificação,a destruição da vegetação,a morte dos rios,causada pelo derramamento de esgotos não tratados,o aumento da caça predatória e a falta de políticas públicas para tentar mudar essa triste realidade.



É muito bonito,quando alguma autoridade,fala que vai lutar para melhorar as condições de vida,no nosso semiárido e preservar o que ainda resta da caatinga;só que na maioria das vezes essas autoridades não sabem nada da nossa realidade,pois só aparecem aqui de quatro em quatro anos,para mais uma vez enganarem esse povo ingênuo e sofrido,com promessas falsas e assim conseguirem seus votos.



Na realidade,o homem sofrido do nordeste brasileiro,já não mais acredita em promessas de salvação para essa região,pois,com raras exceções,são promessas vazias,como o prato de muitos pais e mães de família,que lutam para manterem uma vida digna e honesta,mesmo vendo tantos maus exemplos por parte dos nossos governantes.



Seria,relativamente fácil melhorar a vida desse povo,bastava fazer uma melhor distribuição de renda,investir em educação de qualidade,apoiar iniciativas sustentáveis e dar vez e voz a esse povo,pois de “besta”,nós não temos nada.



Escrevi essa postagem simples,apenas para não deixar passar em branco,esse dia que para mim é muito importante,pois faço parte dessa caatinga;sou igual ao pé de imburana,que mesmo após ser cortada,se mantém verde e se for deixada em pé,crescerão novas raízes e essa belíssima árvore se manterá viva,mostrando que a natureza sempre encontra uma saída.


Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz
Postar um comentário