sexta-feira, 6 de maio de 2011

Abelhas Rebeldes.


Quem cria abelhas nativas,sabe que elas sempre nos surpreendem,pois não adianta você achar que todo o manejo será igual ao que você escuta ou ler ...,sempre tem alguns detalhes diferentes.

Por exemplo,sabe-se que normalmente as jandaíras,não se incomodam com as armadilhas para forídeos,colocadas dentro das caixas,mas sempre tem uma pra quebrar a regra,esses dias fiz uma troca de caixa(pois uma caixa estava bem velha )e por ter sido obrigado a mexer com toda a colônia,os forídeos logo apareceram,então eu coloquei a armadilha interna,com vinagre de maçã.
Mas sempre que eu abria a caixa para ver como estavam as coisas,as abelhas haviam fechado todos os furos,por onde os forídeos entrariam na armadilha.

Eu sempre uso o vinagre de maçã,diluído em um pouco d’água,pra diminuir o cheiro forte,então não haveria motivos para “elas”taparem os furos.

Em cada revisão,eu sempre abro os furos,mas as abelhas fecham logo em seguida.Então diluí ainda mais o vinagre e acrescentei um pouquinho de pólen,para que as abelhas não estranhem o cheiro.

Uma boa solução que eu encontrei para que as abelhas não fechem os "furos",foi colocar pequenos pedaços de canudinho plástico,nos "furos",pois com isso as abelhas não conseguirão mais tapá-lo.

Outro acontecimento que me chamou atenção,foi uma uruçu(melípona scutellaris),que pertence ao amigo Tadeu Leite,que está em uma caixa modelo INPA/FO.
Sem nenhum motivo aparente as abelhas não aceitaram a entrada/saída original da caixa,por isso “roeram” e abriram uma nova entrada/saída,na parte de trás da caixa,na parte superior onde fica a melgeira,e fecharam a entrada/saída original.



Um detalhe nessa história,é que Tadeu,já fechou essa abertura com madeira;desobstruiu a entrada original da caixa,mas mesmo assim,alguns dias depois as abelhas voltaram a abrir a entrada/saída ,no local escolhido por elas e fecharam a entrada original da caixa.

Eu costumo dizer,para meu amigo Tadeu,que as regras não são infalíveis,quando se lida com seres vivos,pois esses seres,muitas vezes não aceitam aquilo que escolhemos para eles,e fazem suas próprias regras.

Talvez,nesse final de semana,eu vá à casa de Tadeu,para conversar sobre nosso assunto preferido”as abelhas nativas”e talvez,fazer mais uma experiência com essa caixa de uruçu,tentando convencê-las a aceitarem a entrada,da caixa pelo “ninho”.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB.
Postar um comentário