quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A história de um tropeiro.


Nascido em 14 de dezembro de 1908,no sítio porteiras ,município de Cabaceiras,Paraíba,o menino Manoel Braz,era um garoto comum,como todos os outros de sua idade;brincava,ajudava aos pais nas lidas diárias,sonhava com um futuro melhor.


De família humilde,porém honesta e de caráter,ele sempre se espelhou em seu pai;inclusive o sucedeu em sua profissão:TROPEIRO.

Meu avô(Manoel Braz)aos 100 anos de idade.


Como tropeiro,viajava do cariri paraibano,para cidades como:Campina Grande(PB)e Caruaru(PE),dentre tantas outras cidades e lugarejos,sempre transportando mercadorias,no lombo dos “burros”.




Com o declínio da atividade “algodoeira”(do algodão),a profissão de tropeiro,foi ficando cada vez mais difícil, e Manoel Braz passou a comprar e vender animais,principalmente gado e cabras;mudando assim de profissão.

Por ser um “homem de palavra”(de confiança)ele, mesmo sem ter boas condições financeiras,conseguia comprar grandes quantidades de animais,o que lhe dava bons lucros.



Casou-se com a jovem Severina,e após muito trabalho,esforço e dedicação,conseguiram comprar a propriedade,que passou a chamar-se “Currais velhos”(pois quando foi adquirida,existiam alguns currais antigos,que serviam para trancar os animais).


Nos “Currais velhos”,construiu a sua nova morada(aquela que seria a sua última),e criou seus dez filhos.
De lá só saiu para a morada eterna.

          Meu avô (Manoel Braz e meu pai João Braz).

Nesse pedaço do cariri paraibano,o amor sempre falou mais alto:amor pela família,amor por seu cariri,amor pela caatinga,enfim,Manoel Braz,foi um homem apaixonado pela vida,homem de muita fé,e é essa fé que nos fortaleçe.


Quantas brincadeiras,quantos "começos de inverno",quantas reuniões familiares,passamos na "casa grande",ao lado dos meus avós...Quantas saudades boas.

Apesar de ser um homem simples,meu avô sempre teve muita preocupação com a preservação da caatinga(coisa rara,naquela época,principalmente quando nem se falava em preservação ambiental),pois ele sabia da importância de se ter a natureza como aliada.




Mesmo,sendo um lutador,e um grande vencedor; Manoel Braz,foi vencido pela idade e nos deixou no dia 17/01/2012.Mas seus ensinamentos,seu exemplo de vida,sua fé inabalável,sua honestidade,seu companheirismo e seu amor,nos acompanharão eternamente.


Obrigado,por tudo que o senhor foi e sempre será em nossas vidas(em especial,na minha),que bom ter tido o privilégio dessa convivência,tão bonita,tão serena,tão dócil e tão presente.


Descanse em paz,tropeiro;Eu e todo o cariri paraibano,sentiremos a sua falta;mas sabemos que o senhor está ao lado do criador.


Que Deus continue a dar forças a minha avó Severina,para que ela continue sendo o alicerce de nossa família.E que a união e a fé continuem sendo as diretrizes,que nos conduzirão por muitos anos.

                        Manoel Braz e "sua Severina".

Agradeço a todos meus amigos que seguem esse humilde blog,pelas mensagens de conforto e de apoio,enviadas ao meu email.

Abraço.
Paulo Braz.
Meliponário Braz

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Uma vida centenária.


Amigos!


Eu passei minhas férias,lá no cariri paraibano.


Como sempre,para mim esse contato com minha terra natal,é sinônimo de muito prazer,pois lá me sinto mais forte;lá me sinto mais perto do criador.


Apesar,da alegria de estar de volta ao lar;eu e meus familiares passamos,por momentos de apreensão;pois meu avô,Manoel Hostio Das Neves(Manoel Braz),que dia 14/12/2011 completou 103 anos de idade,passa por problemas de saúde e está em Campina Grande(PB),para receber tratamentos médicos.


Como todos devem imaginar,meu avô Manoel Braz(103 anos)e minha avó Severina(99 anos),são os pilares que dão sustentação à nossa família.Apesar da idade avançada e da saúde fragilizada,eles conseguem manter a unidade da nossa família e servem de exemplos para todos nós,da família Braz.


Estamos confiantes que o ex- tropeiro,mostrará mais uma vez,sua força,sua coragem e sua fé inabalável,e sairá mais uma vez dessa difícil empreitada;talvez a maior de sua vida.


Meu avô,sempre foi muito ligado á sua terra.Nunca quis morar na cidade,pois aquele “cariri paraibano”,sempre lhe deu forças e a sua propriedade:Sítio Currais velhos,ajuda a recarregar as suas energias.


Em breve estarei retornando às minhas postagens sobre as abelhas nativas,e espero,também estar falando da melhora de saúde de meu avô.


Abraço.
Paulo Braz.
Meliponário Braz.