quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Melípona Quinquefasciata (Uruçu do chão.).


Amigos!


Mas uma vez,é com grande prazer que faço essa postagem sobre as nossas abelhas nativas.

No Brasil, existem “grandes” Meliponicultores, não pelo número de colônias que possuem, mas sim, pela forma dedicada que manejam e mantém suas abelhas e seus meliponários.


Dentre esses Meliponicultores, merece destaque o casal: Francisco das Chagas e Selma; pelo belo e importante trabalho de divulgação, multiplicação e defesa das abelhas nativas.




Eu tive o prazer de estar com elas durante as visitas que fiz ao meliponário São Saruê, e sempre fui recebido com a alegria e o carinho, que são marcas registradas desse casal.

No final do ano de 2015, uns colegas meus, foram conhecer o meliponário de Igarassu,PE  e na ocasião ficaram impressionados ao conhecerem a Melípona Quinquefasciata (Urucu do Chão).



Essa é uma abelha nativa, bem rara e que vem sendo salva da extinção graças ao esforço de Chagas;e de mais alguns poucos meliponicultores, que tem multiplicado a espécie e, principalmente tem conseguido conscientizar os agricultores que residem nas regiões de ocorrência dessa espécie; da importância de preservar e manejar essa espécie tão bonita e ameaçada!



Eles também publicaram uma cartilha sobre essa abelha nativa:INICIAÇÃO À CRIAÇÃO DE URUÇU DO CHÃO ,onde relatam as experiências com a criação dessa espécie e dão dicas importantes à respeito do manejo e criação racional.

A cartilha foi desenvolvida por :

*Francisco das Chagas Carvalho
*Selma Carvalho
*Marilda Cortopassi Laurino
*Tertuliano Ayres Neto. 


Por nidificar no chão, essa abelha sofre com os constantes “pisoteios” dos animais, a destruição de seu habitat, as queimadas e as ações dos “meleiros”, que para retirarem o mel, cavam o chão e deixam “as crias” expostas ao tempo; o que é fatal para essa colônia.



Essa abelha produz um mel muito apreciado, e por isso deve ser manejada de forma racional, pois só assim será possível multiplicar as famílias ,para produzir mel,e ao mesmo tempo, preservar os ninhos naturais para garantir sua preservação, também na natureza!


Link para baixar a versão em PDF.

https://hbjunior19.files.wordpress.com/2015/08/cartilhapdf-151223002718.pdfhttps://hbjunior19.files.wordpress.com/2015/08/cartilhapdf-151223002718.pdf


Sempre que você encontrar um “ninho” de abelhas nativas, preserve-a e ajuda na perpetuação das espécies.

Só adquira abelhas nativas de Meliponicultores e/ou às retire de áreas que por acaso for haver desmatamentos ou a árvore onde está alojada a mesma corra algum perigo de cair!


Abraço à todos!
Paulo Romero.

Meliponário Braz.