quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Transferindo uma jandaíra,sem planejamento.


Amigos.

Eu estive no cariri paraibano,no começo do mês(Janeiro)e,como é de costume sempre faço caminhadas pelo meio da caatinga.
Essas caminhadas servem, para tirar o estresse do dia-dia.

Em uma dessas caminhadas,eu aproveitei para rever uma colónia natural de jandaira,que ficava em uma imburana,distante de casa.

Quando eu avistei a umburana,já percebi que tinha algo errado,pois,vi muitos galhos cortados e deixados no chão.
Ao chegar embaixo da árvore,fiquei muito triste,ao ver que a colónia de jandaira tinha sido "tirada",isto é,algum caçador de mel,cortou quase toda umburana e acabou com aquela colónia natural.

Eu tinha achado essa jandaira,fazia uns dois anos,e quis deixá-la onde estava para preservá-la,em seu estado natural.

Ao ver o estrago que tinha sido feito,à + ou -um mês,eu procurei algum vestígio das abelhas,e,em um galho fino,vi uma abelha voando.

Observei e encontrei uma entrada,onde poquíssimas abelhas entravam e saíam.

Pensei,que pelo diâmetro daquele galho e pelo número reduzido de abelhas,essa colónia não iria longe.

Resolvi,então transferí-la para uma caixa racional e tentar salvá-la.
Aqui estão algumas fotos da transferência,observem o diâmetro do galho,que quase não tinha oco,pois,era a parte superior ao ninho natural,(que foi cortado).





Como vocês podem ver nessa foto,o número de crias é muito pequeno.



Logo após tirar os poucos discos de cria,eu encontrei,talvez o motivo dessa redução nas crias;vi a rainha,que aparentemente é muito velha,e isso,compromete o seu ritmo de postura.

A foto não ficou muito boa,mas dá para perceber a rainha em cima dessa casca de árvore.



Depois que terminei a transferência, do pouco material existente na colónia,eu deixei a caixa racional no mesmo lugar onde estava o galho,com a boca de entrada na mesma direção em que estava à da colónia natural,para receber o pequeno número de campeiras,que estavam trabalhando.

No dia seguinte,bem cedo ,fui até o local onde estava a caixa ,vi que as abelhas ainda não tinham começado o trabalho,pois,ainda era quase escuro.
Fechei a boca de entrada da caixa ,com um papelzinho,e levei para casa .
Eu tinha que tentar salvar aquela colónia,levei a caixa para o local onde estava outra caixa,com uma colónia forte,dei algumas batidinhas na caixa,para fazer as abelhas saírem,e coloquei a "caixa fraca",no local da "caixa forte".

As abelhas me deram algumas mordidas,mas ,depois ficaram voando ao redor da nova caixa,que estava no mesmo lugar,com cera ao redor da boca de entrada.
Eu fiquei observando que aos poucos, as abelhas começaram a entrar na nova caixa,e eu levei a "caixa forte",para outro local um pouco distante.

Como o número de abelhas que saiu da caixa era grande,com certeza,ela terá uma nova chance de ser renovada.



Na foto acima, podemos ver as abelhas que vieram reforçar essa caixa,colhendo cera da entrada,um sinal que está dando tudo certo.

Um abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB.
Postar um comentário