quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O resgate de uma cupira.

No ultimo mês de dezembro,eu passei as minhas férias no cariri...,dentre outras atividades com as abelhas nativas,eu fiz o resgate de uma cupira(partamona seridoensis).

Essa cupira estava situada em uma cerca,e teve parte do cupinzeiro derrubado...

Quem viu esse fato e me disse foi meu irmão,que também disse que , talvez elas abandonassem o local,pois os discos de crias ficaram aparentes,pois o cupinzeiro teve um lado derrabado...

Logo que eu soube dessa notícia,me dirigi ao local,para avaliar o estado dessa colônia...Pra minha grata surpresa,os cupins já haviam reparado os danos e as abelhas estavam trabalhando...



Mesmo com a reparação dos danos,o cupinzeiro ainda estava bem danificado e eu não quiz esperar para saber se o cupinzeiro seria quebrado novamente,pois isso poderia ser o fim daquela colônia...

De manhã,peguei uma caixa(que por sinal era um pouco improvisada)e fui resgatar aquela abelha...

Quando eu começei a retirar alguns pedaços do cupinzeiro,as abelhas já foram em cima de mim(muitas)e deram muitas mordidas,deu até vontade de correr,rsrs.



Mas isso é normal,pra quem cria cupira...,(eu tenho um chapéu com um véu,pra me proteger das mordidas,mas esqueci,e não quiz voltar pra pegar em casa)...

Aos poucos,fui vendo que aquela colônia era forte,apesar de ter perdido algum espaço do cupinzeiro...,com cuidado,tive acesso aos discos de cria e aos potes de alimento,fui retirando com cuidado,e colocando na caixa...


Depois que terminei a transferência,deixei a caixa no local do cupinzeiro,para pegar as campeiras que estavam “trabalhando”...

Nesse mesmo dia,à tarde eu tive que ir buscar a caixa,pois o tempo havia virado,e vinha muita chuva...

A chuva é sempre bem vinda em minha região,mas não dava para deixar aquela caixa se molhar,pois poderia entrar água e botar tudo a perder...

Levei a caixa para casa,com a entrada fechada..,e de manhã,providenciei um local para acomodá-la...


Durante alguns dias,forneci cera e acompanhei o trabalho das abelhas,que por sinal se organizaram bem depressa,pois elas são bem rústicas e trabalhadoras...



Essa resgate me deixou muito feliz,pois como eu já disse em outras postagens,sou apaixonado por essa pequena abelha,e farei de tudo para que ela consiga se livrar da extinção...

Um abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
João Pessoa,PB.
Postar um comentário