sábado, 2 de abril de 2011

Uruçu nordestina/uruçu verdadeira(Melipona scutellaris).

Amigos!


A uruçu nordestina (melípona scutellaris) é endêmica do nordeste brasileiro;ocorre na zona da mata dos estados de Alagoas,Bahia,Ceará, Pernambuco,Paraíba,Rio Grande do Norte e Sergipe.

Dentre as abelhas nativas,criadas no Brasil;com certeza a uruçu nordestina é uma das mais importantes e produtivas,economicamente falando( se ela for bem manejada,pode concorrer e vencer as ápis,pois tem um mel muito valorizado).Além de ser muito bonita.




Em 2010,eu tive o prazer de ir em Igaraçu(PE),conheçer o sr.Franciso das Chagas,considerado o maior criador dessa espécie de abelha no Brasil.Apesar de ostentar esse título,Chagas é muito simples,amigo e incentivador dos novos meliponicultores.


As uruçus são ótimas produtoras de mel,e esse é o mel mais valorizado do país,alcançando um preço médio de R$150,00 o litro e ainda existe mercado,pois a procura por esse mel é crescente.

Apesar de ser nativa do nordeste brasileiro,ela é criada em quase todas as regiões do país,e tem se adaptado bem a diferentes climas,pois é bem rústica e tem uma boa adaptação a diferentes ambientes.

As uruçus são criadas basicamente em dois modelos de caixas:a caixa FO/INPA e a caixa nordestina(horizontal).




São abelhas de fácil manejo,(apesar de serem bem defensivas)e se adaptaram muito bem as criações racionais,onde produzem em média três litros de mel por caixa/ano;é claro que a produtividade vai variar de acordo com o manejo e com as floradas existentes na região.





Assim,como acontece com a maioria das abelhas nativas,quem tem contato com a uruçu nordestina,se apaixona logo de cara.

Apesar de ter um preço médio alto:em torno de R$400,00 a família.Ela desperta cada vez mais o interesse dos meliponicultores e amantes das abelhas nativas,sendo considerada por muitos "a melhor abelha nativa brasileira".


É claro,que eu também estou no meio desses apaixonados por elas.

E espero continuar com as minhas queridas jandaíras,(lá no cariri)e com as uruçus aqui em João Pessoa,aumentando aos poucos a quantidade de exemplares.

Já existem algumas experiências com a uruçu nordestina no semiárido,embora os grandes estudiosos do assunto digam que isso é impossível,mas...(eu mesmo,já faço à algum tempo,e me surpreendo com os bons resultados)posso dizer que essa será mais uma barreira geográfica quebrada pela uruçu nordestina;que como todo nordestino,é antes de tudo forte.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
Postar um comentário