quinta-feira, 9 de junho de 2011

São João na roça.

Amigos...,para nós nordestinos,esse período é um dos mais esperados do ano,pois é a época de fazer a colheita do milho,feijão de corda,fava,maxixe melancia,jerimum...,enfim de ver nosso esforço sendo recompensado com uma boa colheita e com muita fartura.


E,é justamente nesse mês que comemoramos o “São João”.
É costume fazer uma fogueira,para homenagear o santo e agradecer,pela chuva,que proporcionou fartura na roça e muito pasto para os animais.

Na noite de “São João”,a fogueira é acesa para clarear o “terreiro” e encher de alegria adultos e crianças,que brincam e soltam fógos.



Em muitas casas,se reúnem os amigos e vizinhos para dançarem o forró-pé-de-serra;aquele tocado por sanfona,triângulo e zabumba...,e o forró vai até o sol raiar...
A festa fica completa,com as comidas típicas da época:canjica,pamonha,bolo de milho,mungunzá,pé de moleque,queijo de manteiga...

Mesmo a fogueira sendo uma tradição,em nossa região,meu avô sempre teve o cuidado de mandar os trabalhadores,procurarem árvores caídas,secas ou algarobas,para fazerem a fogueira,pois a caatinga sempre foi “adorada”e protegida por ele;por meu pai e por mim,afinal em sua simplicidade de homem do campo e do alto de seus 102 anos,meu avô sempre soube que para se viver nesse semiárido,temos que ter a natureza como aliada e nunca como inimiga...”Só derrubem uma árvore da caatinga,se for em último caso”...sempre dizia meu avô.


Essa mesma,”filosofia” de homem caririzeiro,eu passo para minha filha e meus sobrinhos,para que eles desde pequenos,aprendam a amar, respeitar e preservar a caatinga,pois eu me considero parte “dela”.

(Missa dos 100anos de meu avô,dezembro de 2008)

Estou contando os dias,pra ir para meu torrão(meu paraíso)dançar forró,comer milho assado,pamonha com manteiga de garrafa,queijo de coalho na brasa e rever minha família,as abelhas nativas e minha querida caatinga,pois é lá que recarrego minhas forças,e tenho um contato direto com o criador do universo.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
Postar um comentário