terça-feira, 16 de agosto de 2011

A caatinga ameaçada.

Como a maioria dos meliponicultores,eu tenho me preocupado muito com a nossa caatinga,pois “ela”está sendo destruída em uma velocidade infinitamente maior,que as poucas e raras ações para tentar recuperá-la.

Essa destruição ocorre por todos os estados nordestinos e,infelizmente não é diferente aqui na Paraíba.



Embora existam algumas ONGS(organizações não governamentais)e algumas empresas públicas e privadas,que investem na preservação e/ou recuperação de áreas devastadas da caatinga;a destruição caminha bem mais rápido e avança,deixando um cenário de destruição e desolação nessa região tão rica e tão ameaçada.



Tenho tentado mobilizar pessoas e organizações,para esse problema que parece não ser visto por nossas autoridades.

Toda ação de preservação da caatinga é bem vinda,por pequena e isolada que seja;mas será preciso uma grande mobilização de todos,para conseguir-mos vencer essa guerra.

Os meliponicultores,tem uma grande responsabilidade na preservação da natureza,pois disso dependerá o futuro da meliponicultura,e do planeta.



Esse não é um discurso,só para parecer “ecologicamente correto”,mas sim é algo que eu vivo desde minha infância.Mesmo sem conseguir realizar grandes ações,faço minha parte diariamente e tento conscientizar outras pessoas.

Eu estive no cariri,esses dias e pude ver que pequenos gestos,se forem continuados trazem resultados.Por exemplo,o plantio de espécies nativas,em áreas desmatadas,tem conseguido recuperar algumas áreas da nossa caatinga.

E é muito fácil fazer esse plantio,basta colher as sementes(em áreas onde essas plantas ainda existam em abundância)e no início da época das chuvas,enterrá-las,pois a natureza se encarregará do resto.

Algumas plantas “pegam” de galho,é o caso da imburana,do aveloz,do pinhão,do imbuzeiro,a favela,etc.,e essa característica aumenta as chances de recuperar determinadas áreas,pois esses galhos tem um crescimento bem mais rápido.

Também existem algumas árvores,que só produzem mudas através de sementes,mas que são de fácil germinação:a catingueira,o marmeleiro,a craibeira,o angico,a jurema,a aroeira,o cumaru,o mufumbo,a quixabeira,o juazeiro,e o pereiro,são alguns exemplos.

Se cada um de nós,fizéssemos a nossa parte e plantássemos,algumas mudas de árvores nativas;com certeza esse gesto serviria de exemplo pra muita gente,que pensa em fazer algo,mas na maioria das vezes não sabe o que fazer.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
Postar um comentário