sexta-feira, 27 de julho de 2012

Revisões em abelha uruçu nordestina.



Amigos!


No último domingo(22/07/12),eu passei o dia,fazendo revisões em caixas de abelhas urucus nordestinas(Melípona Scutellaris),aqui em João Pessoa,PB.


Eu e meu amigo Tadeu Leite,resolvemos fazer revisões nas urucus,pois choveu muito nos últimos meses aqui em JP.,e precisávamos ver como as colônias estavam,e isso só é possível abrindo as caixas e olhando uma a uma;pois as colônias apresentam diferenças de desenvolvimento(devido as diferenças genéticas),mesmo recendo os mesmos cuidados e estando sob as mesmas condições ambientais.



Revisamos quase 40 caixas e encontramos problemas em duas delas.

Em uma das caixas,(Modelo FO/INPA)o excesso de potes de alimento,estava deixando a rainha quase sem espaço para realizar a “postura”.Esse “problema” foi ocasionado pelo excesso de alimentação artificial;pois Tadeu estava sem tempo de revisar as caixas e apenas alimentava,sem saber se realmente havia a necessidade; e as abelhas armazenaram esse alimentos nos potes.

Nessa caixa existe um grande número de “campeiras”,que irão consumir parte desse alimento(Já que não existem floradas,agora),abrindo espaço para que a rainha realize sem importante trabalho de "postura".

A outra caixa,com problemas,estava sem rainha e discos de crias;(Não sei porque a rainha pereceu e outra rainha virgem não foi aceita nessa família).Ao analisar essa caixa,eu fiquei imaginando;com mais de 50 caixas ao redor;porque nenhuma princesa foi aceita?

Nesse "tronco",existe uma uruçu nordestina,que não é manejada,e é usada para se demonstrar como era a meliponicultura"cabocla",realizada sem as técnicas racionais de criação e manejo.


Foi um domingo,muito prazeroso,pois além de estarmos fazendo os manejos das abelhas nativas,trocamos muitas ideias e,é claro,tomamos algumas geladinhas,afinal de contas com algumas geladas,as conversas e as ideias fluem mais fácil





Abraço.

Paulo Romero.
Meliponário Braz.




Postar um comentário