Plantas melíferas.



Amigos!


Apesar de meu  meliponário,estar localizado no cariri paraibano,eu mantenho algumas colônias aqui,em João pessoa e tenho me preocupado com o período das chuvas,pois normalmente as plantas não têm floradas nessa época.

Pelo menos é o que se escuta da maioria dos meliponicultores...,por isso eu resolvi “investigar” as áreas próximas de onde estão as minhas abelhas nativas,pra tentar ver se existiam flores,que pudessem fornecer néctar e pólen,para minhas abelhas,mesmo nessa época de chuvas.

                                                         Aroeira da praia.

Para minha grata surpresa,eu pude encontrar muitas espécies de plantas nativas,algumas rasteiras(consideradas mato/ervas daninhas),outras árvores de um porte maior,mas com uma boa produção de néctar e de pólen.



Algumas das plantas que encontrei floridas,são bem conhecidas como é o caso da aroeira da praia,do cosmos,da xanana(flor de lagartixa),ipezinho de jardim,coroa de cristo e outras tantas que não sei o nome,mas fotografei mesmo assim.

                                                                  Coroa de cristo.

Pude ver um bom movimento de abelhas(ápis e nativas),visitando essas flores e também observei minhas jandaíras,uruçus e cupiras chegando carregadas de pólen,e isso vai manter um bom estoque protéico na colônia,durante o período chuvoso.



Também tenho feito a minha parte,pra ajudar a natureza,e minhas abelhas.Tenho plantado algumas mudas,que florescem bem e atraem,os insetos de modo geral.



Bons exemplos de plantas melíferas e polímeras,que são fáceis de reproduzir e plantar são:amor agarradinho,ora-pro-nóbis,ipêzinho de jardim,cosmos,coroa de cristo e aroeira da praia.


Portanto,mesmo estando em época de chuvas(normalmente sem floradas),a natureza sempre nos surpreende,e nos dá o exemplo de quais espécies devemos manter próximo do meliponário,afim de manter uma boa produção de flores e conseqüentemente de néctar e pólen.


Como sempre,minha postagem é bem simples(como eu),pois nem os nomes científicos dessas plantas eu coloquei,pois achei que não iria adiantar muito,colocar o nome científico de algumas delas,e deixar outras sem identificação.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz





Amigos!


A aroeira da praia(schinus terebinthifolius),também  conhecida por aroeira pimenteira,é uma árvore de médio porte,podendo alcançar de 5 á 9 metros de altura.
É encontrada por quase todo o litoral brasileiro,e também por diversos estados,fora da área do litoral.



Ela é uma planta muito utilizada para arborização das cidades,principalmente aqui no nordeste onde,devido ao sol forte,ela tem um crescimento rápido;por esse motivo,também é bastante utilizada em áreas de reflorestamentos.

Essa árvore é considerada uma planta medicinal,por possuir propriedades cicatrizantes e adstringentes.



É uma árvore muito importante para quem cria abelhas,pois suas pequenas flores são altamente atrativas para as abelhas,que além do néctar e pólen,retirados das flores,também encontram(no caule),uma resina muito atrativa,perfumada e muito utilizada na mistura com cera,(formando o cerume)essa resina,também é utilizada para vedar frestas nas caixas.





Pode ser multiplicada por sementes e por estacas,o que facilita muito a sua propagação.

O néctar dessa planta produz um mel de ótima qualidade. 


Eu estou sempre plantando mudas,por toda a vizinhança,nas praças e terrenos baldios,pois sei da festa que minhas abelhas fazem ao encontrarem uma aroeira da praia florida;e com certeza a nossa natureza agradeçe.



Abraço.
Paulo Braz.
Meliponário Braz.







Amigos!


“A meliponicultura é uma atividade muito prazerosa,pois ao realizar o manejo das abelhas,nos desligamos dos problemas diários e essa prática torna a vida mais leve e bela.(Paulo Romero).

Para que as nossas abelhas nativas,se mantenham produtivas e organizadas,elas precisam contar com um bom “pasto”,de onde possam retirar o néctar e o pólen,necessários à sua sobrevivência.
A maioria dos meliponicultores,estão sempre plantando novas espécies de árvores que possam  aumentar as alternativas florais das abelhas.E eu,como não poderia ser diferente;também estou sempre plantando algumas árvores,para que as minha queridas abelhas nativas,encontre alimento com certa facilidade.

A s ultimas espécies que plantei foram:Mutre(Aloysia virgata) e Ora-pro-nóbis(Pereskia aculeata).

O mutre,floresceu rápido;pois  apartir de “algumas “estacas”,que consegui com um amigo e que foram plantadas em setembro de 2012(Portanto,estão  com 7 meses de plantadas),já existem muitas flores e as abelhas estão sempre fazendo a festa.”Já surgiram algumas flores com uns 5 meses,mas não foram contínuas,com a floração de agora.”


A floração do mutre,está sendo “continuada”,ou seja,já estão com flores à mais de um mês e sempre estão surgindo novas flores.Já li,que o mutre floresce durante todo o ano,mas ainda não sei se essa informação é verídica;mas estou satisfeito com a sua florada,até agora.


Abelha jandaíra(Melípona subnitida) na flor de mutre(Aloysia Virgata).


Abelha uruçu nordestina(Melípona scutellaris),na flor de mutre.


O ora-pro-nóbis,ainda não floresceu,mas acho que “ele”não é concorrente para o  mutre,pois alguns amigos me falaram que suas "floradas" duram poucos dias.


Falando sobre plantas melíferas,também tenho erva cidreira,cosmos e amor agarradinho(Que ainda não floresceu),mas sei que ele é muito bem visitado e sua florada também dura por muitos meses.


 Abelha uruçu nordestina,na flor de erva cidreira.


Abelha jandaíra,na flor de erva cidreira.

Infelizmente,meu tempo está muito reduzido e quase não tenho tempo pra acompanhar o desenvolvimento das plantas;mas já percebo quais espécies devo aumentar o número de mudas.O mutre até o momento está se mostrando uma ótima alternativa de pasto melífero.

Abraço.
Paulo Romero.
Meliponário Braz.
Postar um comentário